Planejamento Tributário Para Clínicas Médicas

Planejamento Tributário para Clínicas Médicas

Montar um bom planejamento tributário para clínicas médicas é essencial desde o início do empreendimento. Para o profissional de saúde, é de suma importância trabalhar observando todas as obrigações legais, escolhendo o melhor sistema tributário para sua empresa, evitando arcar com multas e juros, além de outras penalidades que pode sofrer ao não fazer o recolhimento correto dos impostos.

O planejamento tributário para clínicas médicas deve ser o mais adequado possível, através da assessoria de profissionais especializados, que possam ajudar a reduzir custos desnecessários num processo que, por sua própria natureza, é bastante oneroso para o profissional de saúde.

Com o planejamento tributário para clínicas médicas, o profissional médico, sozinho ou juntamente com seus sócios, irá saber quais os tributos devem recolher, buscando o sistema mais adequado para sua empresa.

É importante destacar que, para fazer o planejamento tributário para clínicas médicas, o profissional precisa contar com o apoio de um serviço de assessoria contábil especializada em contabilidade para clínicas médicas, pois estes profissionais conseguirão atender à todas as necessidades tributárias da empresa.

Para fazer o planejamento tributário para clínicas médicas de forma correta é necessário seguir algumas etapas, assunto que iremos explanar a seguir:

          1-Escolhendo o melhor regime de tributação

A primeira etapa para fazer o planejamento tributário para clínicas médicas é escolher o melhor regime de tributação, ou seja, se os serviços praticados pela clínica serão tributados como pessoa jurídica ou como pessoa física.

No caso de contribuir como pessoa física, a melhor solução para o profissional médico é constituir uma empresa como EIRELI – Empresa de Responsabilidade Limitada, já que é essa uma das formas de redução da carga tributária. Esta opção, contudo, só apresenta vantagens quando o profissional trabalha sozinho e não pretende ter sócios.

Como segunda opção, o profissional médico pode constituir uma empresa jurídica. Neste caso, apresentam-se três modelos de tributação: através do Simples Nacional, pelo Lucro Real ou pelo Lucro Presumido.

Quando incluído no Simples Nacional, o profissional de saúde precisa analisar, em conjunto com o contador, em que modelo a empresa deve ser enquadrada, uma vez que, dependendo do faturamento e das despesas dedutíveis, tanto o Lucro Presumido quanto o Lucro Real podem apresentar algumas vantagens. Assim, é preciso considerar quanto será o faturamento da empresa e qual a margem de lucro projetada, evitando recolher impostos além do que determinem as possibilidades da legislação.

          2-Conhecendo os tributos incidentes sobre clínicas médicas

A segunda etapa do planejamento tributário para clínicas médicas é conhecer os tributos incidentes sobre as atividades do empreendimento, uma vez que a falta de pagamento de qualquer imposto pode trazer consequências desagradáveis, como multas, juros e mora.

Tanto clínicas médicas quanto hospitais e laboratórios são empresas do setor de serviços e, nesse caso, o primeiro imposto a ser analisado é o ISS – Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza, que deve ser recolhido à Prefeitura do município onde a clínica está instalada, com alíquotas que variam de 2 a 5% sobre os serviços prestados, dependendo da legislação municipal.

No caso de tributos federais, o profissional de saúde deve dar especial atenção ao IRPJ – Imposto de Renda Pessoa Jurídica ou IRPF – Imposto de Renda Pessoa Física. Se trabalhar como pessoa jurídica, é preciso também conhecer a CLSS – Contribuição Social sobre o Lucro Líquido e a COFINS – Contribuição para Financiamento da Seguridade Social. Além desses impostos, existem ainda o PIS – Programa de Integração Social e o INSS – Instituto Nacional do Seguro Social, sendo este calculado sobre a folha de pagamento.

          3-Mantendo a atualização sobre a legislação de clínicas médicas

O profissional médico deve munir-se de assessores competentes para o planejamento tributário de sua clínicas médica, acompanhando as mudanças da legislação tributária, uma vez que essas ocorrem de forma constante. As alterações nas normas costumam ocorrer de forma frequente, havendo reduções ou aumentos que precisam ser acompanhados.

Acompanhar as alterações da legislação irá permitir que o profissional recolha apenas os impostos devidos, evitando pagar além do necessário. Além das constantes mudanças na legislação, o que pode ocorrer é o entendimento dos tribunais sobre os mais diversos assuntos, situação que exige a presença de especialistas em contabilidade e tributos.

          4-Utilizando a tecnologia para facilitar o planejamento tributário

O profissional médico, ao fazer o planejamento tributário para clínicas médicas, precisa contar com programas de gestão especializados no seu setor de serviços, permitindo organizar melhor suas finanças e obtendo o controle total sobre o patrimônio de sua empresa, bem como conhecendo o que está realmente acontecendo como funcionamento de sua clínica médica.

Tendo em mãos os relatórios contábeis, tanto o médico empreendedor quanto o contador terão mais condições de fazer o melhor planejamento tributário para a clínica médica, monitorando todas as despesas e trabalhando de acordo com a legislação.

E você, como anda o planejamento tributário de sua clínica médica? Já está planejando qual a melhor opção tributária para 2018? Conte-nos a sua experiência!

Se tiver dúvidas sobre este ou outros assuntos relacionados a sua clínica, entre em contato conosco ou poste-as nos comentários. Teremos um imenso prazer em atender você.

Até breve!

Agora que você entende melhor sobre este assunto, entre em contato com um dos nossos especialistas!

Falar com um especialista

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *