Plano De Contas Para Consultório Odontológico - Como Elaborar?

Plano de contas para consultório odontológico – Como elaborar?

Aprenda, passo a passo, a elaborar um plano de contas para consultório odontológico e livre-se dos problemas.

O Plano de Contas para consultório odontológico norteia o registro das operações financeiras do negócio, estabelecendo um critério sólido para que o registro seja feito da maneira correta e de forma congruente com os objetivos.

Entenda, também, que o plano de contas nunca será igual a outro plano de contas de outro negócio – cada empresa é uma coisa única, como um organismo com seus próprios órgãos, que precisam estar em harmonia para que funcione com maestria.

Profundo, não é? Se ilustrarmos dessa forma, podemos imaginar realidades maravilhosas e lindas sobre empresas e suas finanças. Mas, na realidade, a coisa pode ser muito mais sombria e assustadora. Mais e mais, empresas quebram ou sofrem consequências por não terem suas finanças em ordem – seus registros financeiros são caóticos e os relacionamentos com os contadores são vistos como um mal necessário.

Eu tenho certeza de que não é isso que você quer para o seu consultório odontológico. Acertei?

Então, chega de conversa. Vamos às dicas de como montar um plano de contas para consultório odontológico!

O que o plano de contas para o seu consultório precisa respeitar?

Para começar:

  1. O plano de contas precisa atender às necessidades financeiras e contábeis, a fim de garantir maior autonomia administrativa para o negócio;
  2. O formato deve ser compatível com as normas de elaboração de balanços patrimoniais, demonstrações contábeis, e também os princípios da empresa e da contabilidade em si.
  3. Todas as exigências externas, como aquelas de instituições financeiras, fornecedores e da própria lei, devem ser atendidas.

O que o plano de contas para o seu consultório precisa respeitar?

Um bom plano de contas para consultório odontológico necessita de bastante cuidado, já que estamos falando de um conjunto de normas que detalha o funcionamento de cada operação. Assim, os envolvidos podem ficar sabendo para que serve tal norma, como é o funcionamento de cada conta, além de conter comentários e outros detalhes.

As instruções precisam ser detalhadas, mas não há a necessidade de se aprofundar nos detalhes de forma absurda – é uma questão de bom senso, de compreensão das necessidades do negócio e dos seus interesses. Afinal, o resultado final depende disso, e precisa atender as necessidades administrativas e fiscais, além de também englobar entidades externas.

Flexibilidade também deve ser uma palavra de ordem quando o assunto é elaborar um plano de contas para seu consultório!

Não adianta elaborar um plano de contas que não permite a adição de novas normas, caso estas se façam necessárias.

Como elaborar um plano de contas para consultório odontológico, afinal?

Bom, para começar, você precisa que o plano de contas esteja de acordo com as Normas Brasileiras de Contabilidade, mais especificamente de acordo com a Lei 6.404, de 1976, que é chamada de Lei das S/A, seguindo também os Princípios Fundamentais de Contabilidade.

Além disso, o Plano de Contas precisa estar adequado aos padrões dos grupos principais, que são categorizados conforme a legislação:

Ativo

  • Circulante ou não circulante;
  • Investimentos;
  • Intangível;
  • Imobilizado;
  • Realizável a longo prazo.

Passivo

  • Circulante ou não circulante;
  • Patrimônio Líquido.

Contas de Resultado

  • Receitas;
  • Despesas.

É preciso adotar um código único para o Plano de Contas, mas não existe um padrão pré-estabelecido. Por isso, seu consultório pode estabelecer uma numeração específica às suas necessidades.

Com números, fica mais fácil classificar as contas, já que os softwares contábeis trabalham dessa forma. Então, é preciso que as contas de primeiro grau sejam classificadas da seguinte forma:

  • 1 – contas do ativo;
  • 2 – contas do passivo e patrimônio líquido;
  • 3 – contas de resultado.

É preciso ter atenção!

No primeiro grau, é preciso que as contas sejam consideradas da mesma forma em que os grupos são divididos, na mesma ordem das apresentações de demonstrações contábeis, com seus respectivos grupos e subgrupos. Assim, é possível realizar o lançamento dos valores e analisá-los de forma rigorosa, sem quaisquer problemas.

É importante, porém, que os lançamento no Plano de Contas para Consultório Odontológico só aconteçam em subcontas específicas, de acordo com o requerido pelas Normas de Contabilidade.

Gostou das dicas? Tem mais dúvidas? Saiba que o desenvolvimento de um Plano de Contas infalível pode ser realizado com a ajuda de um contador. A expertise e a experiência dos profissionais contábeis é muito bem-vinda quando o assunto é organizar as finanças e as obrigações contábeis, fiscais e tributárias.

Entre em contato conosco. Nós, da Capital, podemos te ajudar a criar um excelente plano de contas para seu consultório de odontologia.

Procurando por contabilidade para dentistas? A Capital é uma contabilidade em Brasília – DF.

Siga-nos no Facebook: @capitalcontabilidadedf

Muito sucesso e até a próxima.

Ainda possui alguma dúvida? Que tal entrar em contato com a Capital Contabilidade?

Somos uma Contabilidade em Brasilia, especialistas no seu negócio e poderemos ajudá-lo.

Será um prazer conversar!

Acesse nosso Facebook: @capitalcontabilidadedf

Sucesso e até logo.

Assine nossa newsletter

Receba dicas valiosas para o seu negócio semanalmente!

Agora que você entende melhor sobre este assunto, entre em contato com um dos nossos especialistas!

Falar com um especialista

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *